quarta-feira, 29 de junho de 2011

RESENHA: Sereia (Siren #1)

Monique Melo

“Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte. Os pais de Vanessa tentam superar a tragédia retornando à vida cotidiana em Boston, mas ela sente que a morte da irmã não foi acidental. Depois de descobrir que Justine estava escondendo diversos segredos, Vanessa volta para Winter Harbor, esperando que Caleb, o namorado de sua irmã, possa esclarecer algumas coisas, mas o garoto está desaparecido. Logo, não é apenas Vanessa que está com medo. Winter Harbor inteira fica em alvoroço quando outro corpo aparece na praia, e o pânico se instala à medida que a pequena cidade se torna palco de uma série de acidentes fatais relacionados com a água, em que as vítimas são encontradas sorrindo horrivelmente de orelha a orelha. Vanessa e Simon, irmão mais velho de Caleb, unem forças para investigar os estranhos acontecimentos e, no caminho, a amizade de infância se transforma em algo mais. Conforme eles vão encontrando ligações entre a morte de Justine e a súbita erupção de afogamentos assustadores na cidade, Vanessa descobre um segredo que ameaça seu romance com Simon – e que vai mudar sua vida para sempre.”

Quando comecei Sereia achei que encontraria uma história melosa de uma garota que não sabe suas origens e que chora pela perda da irmã, mas me equivoquei. E adorei estar errada! O enredo é muito bom, cheio de mistério e reviravoltas e com boas e agradáveis surpresas.

Vanessa é uma personagem a qual nos identificamos com facilidade: ela tem muitos medos a serem superados além da insegurança que sempre acompanha a maioria das garotas de 17 anos. Ela vive a sombra da irmã, Justine, muito popular, determinada e extrovertida, mas que sempre a protegeu e acompanhou.

Quando Justine morre, Vanessa fica sem rumo principalmente quando descobre que não conhecia a irmã tão bem quanto pensava e vai em busca de respostas. E essa busca leva não só a verdadeira Justine, mas trata também da auto-afirmação da própria Vanessa.

Para resolver o mistério da morte da irmã, Vanessa tem a ajuda do Simon e do Caleb, companhias constantes todos os verões e muito interessados para saber o que aconteceu com a amiga e com as outras vítimas. O Caleb me impressionou, pois é muito mais do que aparenta! Há muito mais no amor de verão dele e da Justine do que imaginei. E o Simon é muito fofo, meio nerd e bastante educado e responsável e, claro, já o coloquei na minha lista de personagens fictícios que deveriam existir.

O romance é presente, embora nunca cansativo. Acontece aos poucos e me fez torcer para que a Vanessa percebesse o que só ela parecia não entender. Quando ela finalmente se dá conta do que sente, outras revelações vêm para atrapalhar a vida do casal.

A mitologia das sereias também é bem interessante e foi muito legal ler sobre um tipo de ser sobrenatural tão diferente (será que estou enjoando de vampiros, anjos, lobisomens?). O mais legal é tentar descobrir quais são exatamente os costumes e os poderes das sereias, já que descobrir qual é o ser sobrenatural da vez não é necessário depois do baita spoiler que é o título do livro.

Sereia é o primeiro livro de uma trilogia aí vocês já podem imaginar o final: resolução do problema atual com muita ação e alguns esclarecimentos, mas com muitas pontas soltas e uma injeção de curiosidade que me fez procurar na internet se os outros dois livros foram lançados nos EUA. Para minha desilusão, o segundo livro Undercurrent, ainda será lançado este ano e não tem previsão para chegar aqui no Brasil.

Sobre o livro:

Sereia

Série: Siren

Volume: 01

Autora: Tricia Rayburn

Ano: 2011

Editora: Verus

Páginas: 306

Site da Autora: AQUI

Book Trailer:

terça-feira, 21 de junho de 2011

PROMOÇÃO: Um Amor para Recordar

Quer ganhar o exemplar de Um Amor para Recordar que a Fábrica e a Ed. Novo Conceito vão sortear??

Faciiinho então de participar. A promoção será válida de 25 de junho até 12 de julho, 14 horas.

Leia a resenha no post anterior a esse e comente sobre ela no mesmo post da resenha. Assine também o RSS do blog (subscribe Rss, logo abaixo da logo).

Junto com seu comentário coloque seu nome completo e e-mail para que possamos entrar em contato caso você seja o ganhador.

Só valerá 1 comentário por pessoa. Os comentários serão númerados em ordem crescente, começando do primeiro (nr 01) até o último. Os comentários repetidos ou que não forem sobre a resenha serão apagados antes do sorteio para não ter dúvidas na hora de numerar. O sorteio será feito pelo random.org.

O comentário numerado com o número sorteado será o vencedor. O resultado será divulgado aqui e entraremos em contato com o ganhador por e-mail. Caso o ganhador naõ entre em contato dentro do prazo estipulado faremos novo sorteio.

Boa Sorte!!!

RESENHA: Um Amor para Recordar

Nina Duoli

Nicholas Sparks ainda vai ser responsável pela morte de alguém por desidratação. Um amor para Recordar é mais um livro incrivelmente lindo, doce e que com certeza vai te fazer pensar muito na vida, nas suas prioridades e em o que realmente importa. É um livro que fala de perdão, aceitação, amor e um pouco até de preconceito.

O livro começa e termina com Landon Carter, já com 57 anos contando sobre a fase mais importante da sua vida, quando ele tinha 17 anos.

Landon era um garoto considerado um bad boy, mas como a história se passa nos anos 50, a ideia de bad boy era completamente diferente. O que ele fazia de errado era ir para o cemitério a noite com os amigos, comer amendoins e falar mal dos outros ou caçoar do pastor da maior igreja batista da cidade por causa dos seus cultos que só falavam de fornicação e ganância.

Seu pai era um político muito influente e que não passava mais que 3 dias por mês em casa, mas era ainda melhor que seu avô que conseguiu juntar toda a fortuna da família como contrabandista e depois uma espécie de agiota. Sim, Landon era um garoto rico e que morava em uma mansão histórica na cidade de Beaufort na Carolina do Norte.

Jamie era filha do pastor Hegbert. Sua mãe morreu durante seu parto e, por isso, Hegbert era muito ligado a ela. Todos na escola achavam que ela não era normal. Sempre estava com seu suéter marrom e saia xadrez, carregando uma bíblia. Não tinha costume de ir aos lugares que os outros adolescentes iam, mas costumava ajudar os mais velhos nas suas tarefas diárias, os animais na rua e sempre ia visitar o orfanato da cidade.

A história da menina que não parecia normal e o bad boy começa quando Landon ganha a eleição de presidente do grêmio e precisa de companhia para ir ao baile. Na falta de alguém disponível ele resolve convidar Jamie. O que ele pensa que seria uma noite terrível até que não é tanto... mas ela continua sendo esquisita.

Até que Landon resolve se inscrever nas aulas de teatro por achar que seriam mais fáceis que as aulas de química. Nesse ano, o grupo iria apresentar a peça de Natal que foi escrita pelo pastor Hegbert. Era a história de Tom Thorton, pai de uma menina que queria dar a ela um presente de natal especial. Ele sai a procura de um presente e encontra uma mulher que lhe dá varias lições e depois se revela um anjo. Jamie queria que a peça esse ano fosse especial e resolveu escolher Landon para representar Tom.

A partir desse momento Landon começa a conviver e a conhecer melhor Jamie. Ele continua a achando esquisita, mas começa a perceber que ela é muito mais do que a sua aparência mostra. A convivência com Jamie faz Landon sempre se sentir culpado de alguma forma e ele começa a ter outras atitudes em relação a ela e a sua própria vida.

É quando Landon começa a se abrir para sua nova vida, que ele descobre o segredo de Jamie e percebe que tem muito pouco tempo para continuar vivendo o momento especial pelo qual estava passando.

Eu poderia ficar aqui contando o livro todinho. A história de Landon e Jamie é muito mais do que está nesse pedacinho aí em cima. É legal e comovente ver a mudança na vida de Landon devido aos simples gestos de Jamie e o relacionamento deles crescendo. Sparks conseguiu colocar tudo de uma forma muito doce e bem natural, como se nem Landon percebesse a mudança que acontecia com ele mesmo. Não sei se foi de propósito, mas ao mesmo tempo em que Landon e a história de Jamie iam mudando o clima na cidade também mudava.

Uma outra parte bem legal é quando Landon dá de presente de natal à Jamie um suéter marrom, igual ao que ela usava todos os dias. Pra mim pareceu como se ele estivesse aceitando, finalmente, quem ela era, do jeito que era.

Nesse livro também percebi um tom mais jovial no texto. A história é narrada por um garoto de 17 anos e realmente parece que é. O jeito que ele conta as histórias, a linguagem é bem leve e muitas vezes até divertida. Até agora dos livros de Sparks que li esse foi o livro que mais fala da igreja e da bíblia, inclusive com citações, mas não chega a incomodar (para quem não gosta de livros nesse tema), pois é tudo bem natural e nada forçado.

O livro vale muuuuito a pena, mesmo. Se você já viu o filme e acha que assim está bom, saiba que com o livro você terá uma história muito diferente e bem mais bonita e profunda.

Falando do filme...

Apesar de um monte de gente que conheço já ter visto e ser apaixonado por ele, eu fiquei decepcionada. Não porque é um filme ruim, mas porque ficou parecendo que o filme foi feito baseado em um livro que não foi lido.

O filme, se não tivesse um livro por trás seria ótimo, mas muitas partes importantes do livro foram completamente alteradas. A peça de teatro de natal, que pra mim é uma das partes mais importantes do livro, pois ela conta a história da vida de Jamie e seu pai, virou uma peça e primavera com uma história completamente diferente de uma cantora de bar.

No livro os pais de Landon não são separados, o pai dele é político e não médico, e a marca registrada e Jamie é o coque, suéter marrom e saia xadrez. Uma das partes que marca a reviravolta da história e a completa mudança de Landon nem sequer é citada no filme. A parte em que Jamie demonstra o que sente pra Landon, dando um presente pra ele, também é completamente modificada no filme e perdeu o sentido. Fora que o filme é atual e o livro se passa nos anos 50, então o comportamento dos personagens é completamente diferente.

Mas no final das contas, vale a pena ver também, não pra comparar, mas pensando em duas histórias diferentes com personagens com o mesmo nome, mas não iguais. E se você encontrar por aí um livro chamado Um Momento Inesquecível, do Sparks, é o mesmo, mas esse é o nome traduzido em Portugal.

Mais...

Titulo: Um Amor para Recordar
Autor: Nicholas Sparks
Editora: NOVO CONCEITO
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 184

Direção do filme: Adam Shankman
Distribuidora: Warner Bros

EVENTO: Harry Potter para Sempre

Agora é a vez do Potterfans...claro que a Fábrica não ia deixar vocês sozinhos no final!!

Em parceria com a Editora Rocco e o Potter Club dia 26/06, domingo as 14 horas na Leitura do Shopping Cidade, teremos o evento Harry Potter para Sempre.

Um super evento com jogos, bate papo, videos, um super concurso de cosplay e claro...muuuuitos brindes!

Vistam seu melhor cosplay, venham se divertir com a gente e tragam todos os seus amigos!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

RESENHA: Stardust

Nina Duoli

Tristran Thorn
Tristran Thorn
Nem sabe porque nasceu
E fez uma promessa tola
E agora suas calças, seu paletó e sua camisa estão rasgados
Por isso ele está aqui sozinho e infeliz
Para logo encontrar o desdém de sua amada
Wistran
Bistran
Tristran
Thorn




Esse sim é um livro difícil de descrever ou tão fácil que não dá nem pra saber como começar. Até porque, essa é uma história contada por Princess, tataraneta da gata da família Thor, para Neil Gaiman. Pra mim, foi o melhor jeito de entrar no mundo dos livros de Neil Gaiman, pois Stardust é o primeiro livro que li, apesar de já ter visto filmes baseados em seus livros (mas não vi Stardust).

sábado, 11 de junho de 2011

RESENHA: Em Chamas (Hunger Games #2)



Matar ou morrer. Não há escolha.

Na arena, o mais capaz vence.

Os jogos vorazes continuam!

Quem quer mais ação, violência, romance e drama, levanta a mão! Pois é, quando acho que nada poderia me deixar mais entusiasmada que o primeiro livro da série Jogos Vorazes, vem o segundo e mostra que sempre se pode melhorar.

Tendo como carro chefe as diversas reações às ações da Katniss durante os Jogos Vorazes, Em Chamas mostra o dia a dia da vencedora do 74° Jogos Vorazes após sua volta ao Distrito 12. Katniss ainda sofre os efeitos de sua participação nos jogos, principalmente no âmbito emocional. As coisas andam estranhas entre ela e Peeta Mellark, o outro vencedor dos jogos. Indecisa sobre o que sente, acaba se afastando dele.

Os dois não tinham idéia como suas ações repercutiram nos distritos cansados de viver sob a forte vigilância da Capital. Encorajados pelas atitudes de Katniss nos jogos, pequenas rebeliões começam a surgir e a Capital se torna um inimigo implacável.

Tudo parece piorar quando é anunciado o Massacre Quaternário, evento que ocorre a cada 25 edições dos Jogos Vorazes. Katniss volta para a arena e sua participação desta vez, será ainda mais importante para o futuro dos distritos.

A Suzanne Collins só precisou de dois livros para me fazer virar fã dela. A narrativa continua envolvente e ela trabalha a personalidade dos personagens de um jeito que se aproxima muito da vida real. A Katniss, por exemplo, é uma personagem cheia de defeitos e inseguranças, mas ao mesmo tempo, é forte, corajosa e leal.

Os personagens secundários não participam da história à toa: cada um deles tem uma função e contribui para o desenrolar dos acontecimentos. Destaco Finnick Odair, tributo do distrito 4 que tem papel importante durante o Massacre Quaternário e é totalmente cativante. Outro que ganha destaque nesse livro é Gale, melhor amigo da Katniss e causador de mais pensamentos confusos na cabecinha da nossa protagonista!

O romance não é o mote do livro, nem da série, mas é muito bem trabalhado e acontece de forma comedida. Já estou no segundo livro e não faço idéia de quem a Katniss realmente gosta. O que não me impede de forma alguma de ter um preferido! (Peeta onde?)

Outro ponto que me deixou muito animada foi o foco do livro: ao contrário do primeiro volume da série, Em Chamas é mais focado nas conseqüências políticas do 74° Jogos Vorazes. Não quero dizer que não tenha ação, mas vemos muito mais interferência dos governantes de Panem nos Distritos e nos jogos e como isso afeta o cotidiano dos distritos e a vida da Katniss, sua família e seus amigos.

O final é de deixar leitores viciados no meio de um ataque de nervos. É dramático e chocante! Se em algum momento não estive ansiosa pelo fim da série, passou e agora conto os dias, horas, minutos e segundos para o lançamento de Mokingjay, terceiro e último volume da série. Espero que meu coração e minhas unhas sobrevivam até lá.

Sobre o livro:

Em Chamas

Série: Hunger Games

Volume: 02

Autora: Suzanne Collins

Ano: 2011

Editora: Rocco

Páginas: 416

Primeiro capítulo: AQUI




terça-feira, 7 de junho de 2011

RESENHA: Jogos Vorazes


Monique Melo

Ainda sobre o choque, entusiasmo ou adrenalina, seja lá o nome do que estou sentido, escrevo esta resenha sobre um livro que não tenho nada para falar de ruim. Jogos Vorazes tem tudo o que um livro precisa para agradar todo mundo. Gosta de ação? Tem. Gosta de cenas de violência? Tem. Gosta de drama? Tem. Gosta de romance? Tem!!!!!

Não se convenceu ainda? Certo, vamos resolver isso. O enredo bem amarrado e atraente da autora Suzanne Collins tem como protagonista Katniss Everdeen, moradora da Costura, no carente Distrito 12. Katniss é uma sobrevivente: busca da natureza alimento e sustento para sua mãe e sua irmã, Prim. Para tal tarefa conta com seu amigo Gale, responsável, assim como ela, de prover alimento para sua família.

A rotina de Katniss muda quando chega o período da colheita, nome dado ao sorteio de dois tributos (um garoto e uma garota) para participar da edição anual dos Jogos Vorazes. Contrariando todas as probabilidades, a irmã caçula de Katniss é sorteada e ela, para protegê-la, se oferece para participar no seu lugar. O outro tributo do Distrito, é o calmo e bem humorado Peeta, filho do padeiro.

A partir da escolha dos dois tributos pertencentes a cada distrito, no total de 24 tributos, é que começa a preparação para os jogos: uma fase onde aparência, talento e discernimento são importantes para definir a ajuda que você vai receber.

Quando enfim os tributos estão na Arena, inicia-se a fase brutal dos Jogos, uma forma da Capital lembrar aos cidadãos a superioridade dos governantes de Panem e a fragilidade dos empobrecidos Distritos. Mas Katniss tem princípios próprios e, mesmo que não seja sua intenção ir de encontro com os interesses da Capital, suas atitudes durante os jogos são claramente pertencentes a alguém que não concorda com o sistema.

Eu demorei a ler porque estava realmente sem tempo, mas a cada página lida, minha curiosidade só aumentava. Suzanne Collins nos mostra através da Katniss, os sentimentos das pessoas subjugadas e obrigadas por seus governantes a viver de forma precária e a obedecer as leis impostas por eles.

A luta pela sobrevivência, tanto dentro quanto fora da arena, e o sacrifício que os personagens fazem por quem amam, tudo faz você torcer para que os tributos, principalmente os do Distrito 12, mostrem que são seres humanos e não peças num jogo de tabuleiro.

Os personagens são carismáticos e bem construídos, assim como o enredo cheio de surpresas e situações adversas, que te fazem prender a respiração e não largar o livro de forma alguma. Cada cena descrita pela Suzanne Collins me fazia imaginar o lugar, o clima e os sentimentos da Katniss e do Peeta e ficava angustiada quando acontecia algo de ruim com eles.

O segundo livro da série, Em Chamas, já foi lançado e promete ser tão bom quanto o primeiro que, por sinal, virou filme e está em processo de gravação, tendo os atores Jennifer Lawrence e Josh Hutcherson como Katniss e Peeta, respectivamente e tem previsão de estréia para 2012.

Ah, e sabe aquela empolgação do começo da resenha? Continua firme e forte, portanto vou correndo ler Em chamas! E o que vocês fazem parados aí? Leiam Jogos Vorazes!




Sobre o livro:

Jogos Vorazes
Série: Hunger Games
Volume: 01
Autora: Suzanne Collins
Ano: 2010
Editora: Rocco
Páginas: 400
Twitter Oficial: @TheHungerGames

sexta-feira, 3 de junho de 2011

RESENHA: O herói Perdido

Fernanda Siepierski

Desde 2009 nos EUA e 2010 no Brasil que não tínhamos muitas notícias do Acampamento Meio-Sangue. Com uma nova profecia revelada em o Último Olimpiano, claro que esperávamos ansiosos por novas aventuras dos nossos semideuses favoritos e claro que Rick Riordan não decepcionou e logo lançou a nova série Os Heróis do Olimpo.

O Herói Perdido, primeiro livro dessa série, conta com três personagens principais como foco da história: Jason, Piper e Leo. A narração, em terceira pessoa, se intercala entre eles (e parece que continuará assim nos próximos livros da série), fazendo com que conheçamos melhor os personagens. Estes três novos semideuses parecem ser melhores amigos desde o começo do livro, mas esse elo entre eles é colocado em dúvida durante todo o livro pelos mais diversos motivos – seja por causa da Névoa, alguma ação louca de um dos deuses ou até mesmo por causa de conflitos pessoais que assombram esses semideuses.

Para começar, Jason não tem memória e o trio descobre que eles estão sendo caçados por Ventis (um dos monstros da Mitologia Grega, relacionados ao vento). Ao batalhar contra os Ventis, eles descobrem que o professor que os acompanha a uma excursão ao Gran Canyon é um sátiro protetor, que eles são semideuses e que uma missão de resgate veio do Acampamento Meio-Sangue para salvá-los e para procurar um quarto semideus: PERCY JACKSON! (Juro que meu coração parou quando descobri que o herói perdido do título do livro era o Percy! E isso acontece logo nas primeiras páginas!).

De qualquer maneira, os três semideuses descobrem no Acampamento Meio-Sangue quem são seus pais, e descobrem ainda que possuem uma jornada pela frente que deve conectá-los com a profecia de O Último Olimpiano. E vale mencionar que essa jornada envolve resgatar a deusa mais simpática de todas (cof cof), Hera e a descoberta de uma nova grande inimiga: Gaia. E o melhor ainda está por vir: essa nova série relaciona mitologia grega e romana – que sempre foram consideradas semelhantes. Ou seja, conseguimos aprender mais um pouquinho sobre essas mitologias com o autor.

Para quem estava com saudades do humor irônico, mas agradável de Rick Riordan, não precisa mais ficar com saudades. Esses novos heróis prometem nos conquistar tanto quando Percy Jackson e seus amigos, com piadas que deixam a leitura mais leve e sempre divertida. Gosto muito do Leo, pois ele é simpático, leal a seus amigos e ainda por cima tem aquele jeito meio desligado que nos faz torcer para que tudo dê certo para ele. Só não acho que ele supere Tyson na minha lista de favoritos!

O livro é infanto-juvenil sim, mas é tão envolvente que conquista mesmo seus leitores mais adultos. Claro que o O Herói Perdido decepciona um pouco quem já esperava as mesmas emoções dos últimos livros da série Percy Jackson e os Olimpianos e até estranha a mudança do foco da história entre os três personagens. Acredito que, por mais que o ambiente e alguns personagens sejam familiares, a série Os Heróis do Olimpo tem muito o que introduzir antes de nos deixar sem fôlego. Resta aguardar os próximos volumes: Rick Riordan já finalizou o livro The Son of Neptune, que será lançado nos EUA no dia 4 de outubro e deve contar mais sobre Percy e outros semideuses que estão relacionados com a profecia. Tudo bem que eu sou um pouco suspeita, porque Percy Jackson e os Olimpianos é uma das minhas séries favoritas… mas The Sono f Neptune (O Filho de Netuno) já ta na minha lista!

Infos:

Lançamento: 2011-05-20
Páginas: 432
Editora: Intrinseca
Gênero: Séries / Aventura
Juvenil


PROMOÇÃO

Para ganhar um exemplar de O Herói Perdido é muuuuuuito fácil e rápido!!

É só clicar AQUI e dar RT automaticamente na mensagem usando sua conta do twitter!!


CAMISETAS DO ACAMPAMENTO MEIO SANGUE

Essa é sua ultima chance de pedir a camiseta do acampamento meio Sangue na Fanatic's. Até esse domingo, dia 05 as camisetas estarão disponíveis na loja www.fanatics.com.br . E tem uma super promoção para quem comprar a camiseta do Acampamento + a Camiseta Percy Jackson.


EVENTO DE LANÇAMENTO O HERÓI PERDIDO

DIa 19/06 tem um super evento de lançamento de O Herói Perdido. Todas as informações, assim como chegar no evento estão no post bem aqui embaixo. Quem não for de BH pode acessar o site do Percy Jackson Brasil para ver as informações na sua cidade!!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

EVENTO: Lançamento de O Herói Perdido


Mais um super evento da Fábrica em parceria com o Percy Jackson Brasil!!
Todo mundo convidado para uma tarde super legal e cheia de brindes e brincadeiras!!!


Infos:

Dia: 19 de junho
Horário: 14 horas na
Local: Leitura do Shopping Boulevard


E como o Boulevard é um shopping novo e nem todo mundo já conhece, vão umas dicas de como chegar de transporte público. É super fácil de chegar, tem muitas opçoes de ônibus e metrô:

Metrô: Fácil fácil. Descer na estação Santa Efigênia e seguir na passarela que vai para a av. dos Andradas. A estação é praticamente em frente ao shopping. (Eu quando vou de casa, pego meu õnibus, desço na praça da estação, pego o metrô na central e desço na próxima que é a Sta efigênia... rapidinho)

Ônibus: - Tem vários ônibus que param na Av. dos Andradas e tem ponto praticamente em frente ao shopping: 4801A, 9032, 9205, 9411 (esses são da BHtrans, não sei como olhar os intermunicipais, mas tem vários).

- Tem o 9032 que para na rua Ponta Porã que é quase em frente a uma das entradas do shopping.
- E qualquer um que passe na contorno próximo ao Hospital Militar/Praça Floriano peixoto/Camara municipal/Music Hall, inclusive os circulares SC01 Ae B, SC03A e B (ver o lado pra não dar volta). Mas tem muitos outros ônibus.

Obs: Se vc for olhar no google maps, ele indica alguns ônibus que param na Assis Chateubriant e mandam ir a pé até lá, só que naõ é muito perto não... então não indico muito, principalmente se vc naõ sabe como chegar. E todo mundo acha que por ser na Andradas é perto do parque municipal, também naõ é perto, você vai andar reto, porém bastante!

Google MAPS: Clique aqui